Vamos fazer uma contagem, pra ver quantas fãs da Restart tem no Tumblr. Reblog, se você é Fã da Restart.


image

(via voucantarprope-deactivated20130)



beforemypanicattacks:

Retrospectiva 2012.

2011 e eu conversamos bastante e decidimos terminar numa boa. Era o melhor pra nós dois, já que aquela relação tinha começado a deixar de funcionar. Ele tinha sido bom pra mim e aquele era o tempo certo pra seguir em frente.
Nossa última noite foi em cima de um palco, na Avenida Paulista, onde eu pude agradecer por toda a música que me rodeava e pelas pessoas que eu carregava no meu coração.
Agradeci por ter coração.
Me vesti de branco, fiz um pedido pra estrela mais brilhante, pulei na água gelada e dei um beijo de cinema no amor da minha vida. Escrevi o nome dele sete vezes na sola do meu pé e dei mil pulinhos dizendo pra ele nunca me abandonar. Conversei com a lua, usei calcinha nova (e colorida) pra atrair tudo de melhor pro ano que chegava. Prometi cumprir a minha lista de resoluções e, então, teria começado 2012.

Viajamos na primeira semana de janeiro, eu e os melhores amigos que eu poderia ter. Jogamos bola na piscina, fizemos churrasco, bebemos. Choramos em volta da fogueira e marcamos na pele o nosso amor.
Esse ano tinha tudo pra ser perfeito e eu podia contar pra todo mundo que tinha começado com o pé direito! (Claro que essa era a minha única opção, já que o esquerdo tava quebrado, mas essa parte a gente edita pra ficar mais bonito!)
Eu quebrei meu pé, que já não andava muito feliz em trabalhar pra mim, enquanto corria de um lado pro outro na sala de espera de um hospital. A viagem tinha sido incrível mas meu namorado resolveu ser mais passional e precisou trazer com ele uma virose tensa, que o deixou de cama no dia do seu aniversário.
É… Assim, começaria 2012.
Comemoramos de qualquer maneira e mais ainda quando ele ficou bom. No fim das contas eu me tornei uma dessas pessoas que acreditam que tudo acontece por um motivo, e naquele aniversário que ele precisou ficar preso em casa, seu colega de trabalho foi atingido com uma pedra, na cabeça.
Os dias passaram correndo e eu tentando acompanhar, manca, tudo que acontecia ao meu redor. As aulas recomeçaram, meu aniversário chegou ao mesmo tempo que a despedida de um grande amigo e, por algum motivo, meu coração pulava pra fora do peito esperando.
Uma reviravolta? Uma surpresa?
Eu não sabia o que 2012 tinha reservado pra mim, mas sabia que seria grande.
Eu fiquei doente algumas vezes, decorei o padrão de senhas a serem chamadas no pronto socorro, memorizei o rosto de algumas enfermeiras e elas já se lembravam de mim. Não sei ao certo quanto tempo levou entre quebrar o pé, descobrir um refluxo, pegar uma virose, uma gripe, uma infecção, e por fim a dor de garganta que tornaria esse, de fato, um ano memorável.
Era esse o começo de 2012?
Me receitaram um antibiótico comum, pra tratar a dorzinha chata da garganta, e que eu esperava que desse um jeito em todo resto que tava me enchendo o saco. Talvez eu não tenha definido bem o “dar um jeito” ou o universo resolveu me sacanear mesmo, e nessa eu acabei fazendo intercâmbio pra um planeta bem diferente do nosso, chamado Hospital São Luiz, e ao qual, hoje, eu agradeço por existir porque, se não, onde eu estaria?
Eu fiquei emocionada quando descobri que tinha sido premiada com um efeito colateral do antibiótico porque sou do tipo não ganharia um sorteio nem se fosse a única a participar, mas, veja só! Aquele 0,infinitos01 na bula, era EU!
Então eu descobri o mundo maravilhoso do Nubaim, um derivado da morfina, e aprendi que quando disserem que não vai doer pra passar o cateter de última geração até seu coração, acredite… Vai, sim. Aprendi que o corpo humano não suporta muita dor e desliga, pra que você não sofra tanto, e agradeci por isso.
Descobri que furinhos no seu intestino podem ser muito, muito maus e aceitei que as vezes é mais fácil desejar a morte do que a sobrevivência.
Experimentei uma bad trip das pesadas, mental e fisicamente, causada por drogas lícitas, dá pra acreditar?

É, 2012, você realmente foi capaz de me surpreender.
Mas no fim era isso? Era esse o seu grande acontecimento? Morrer sem ao menos ter vivido pra valer?
Eu me lembro de pedir pras noites passarem rápido e de pensar que aquilo tudo era uma grande pegadinha da natureza. Afinal, tem coisa mais engraçada do que privar uma pessoa de tudo que ela mais necessita?
Independência, liberdade, conforto dentro do seu próprio corpo, alimentação, água.
Eu pensei que tinha perdido tudo enquanto assistia os meus limites serem testados, diante dos meus olhos que também já não se importavam muito em ficar abertos.
Eu queria dizer pras pessoas que compartilham aquela frase “Você só sabe o tamanho da sua força quando a única alternativa é ser forte” no facebook, que isso é real.
É estupidamente real.
E aí, sabe deus como, as pessoas ao meu redor foram fortes. Foram fortes e me fizeram forte o suficiente pra perceber o que eu tinha ganhado.
Eu fiz novos amigos que salvaram a minha vida um pouquinho a cada dia, eu vi os meus velhos amigos rezarem e se unirem pra me ter de volta.
Eu senti o poder do amor da minha família. O poder da paciência e da sensatez do meu namorado.
E eu sobrevivi.
Perdi um semestre na faculdade, passei o ano todo “mais ou menos”, mas eu sobrevivi.
E então eu percebi que, na verdade, foda-se se esse era o começo, o meio ou o fim de 2012.
Esse era o começo da minha vida.
O começo da minha mudança, da minha alma. O meu renascimento.
Os dias passaram, os meses acabaram e olha só…
É hora de encerrar mais um ano. Finalizar uma etapa, bater no peito e dizer que eu venci.
2012 foi uma merda, é verdade, mas foi uma merda emocionante. Vivida. Sentida. Foi uma vitória do timão nos 45 do segundo tempo, de virada.
Sofrido como tem que ser.
E depois da torcida vibrar, da oposição espernear, eu ainda sorrio e digo que eu não fui embora e não vou tão cedo, porque eu e São Pedro sabíamos que o meu lugar é aqui no chão…Na real a santaiada tremeu na base com medo da minha presença no céu.
Um beijo, 2012! Você me fez crescer e me deu muitas cicatrizes, mas eu te agradeço por cada uma delas.
Cicatrizes são as marcas de uma batalha vencida.

(Agora, 2013, por favor, já deu de surpresas por uma vida toda. Be nice!)

LarisB.


beforemypanicattacks:

Então hoje é o seu dia.
Dia de quem canta todas as noites pra eu dormir e me acalma com seu som.
Dia de quem me desperta com um “vê o que acha dessa” e me mata de orgulho em cada show.
Te ouvir tocar é sentir os teus acordes em cada pedacinho do meu corpo.
Te ouvir cantar é acompanhar a sua voz com a minha alma.
Você é a minha estrela, o meu ídolo, a minha fantasia de adolescente…
É um bilhão de gritos incoerentes, fãs nem tão inocentes ;) e luz.
É a minha paixão na guitarra e meu amor no violão.
Meu ciúme, minha marra e meu coração.
É uma letra genial, uma melodia que não enjoa, um silêncio vez em quando e um beijo que perdoa.
Você é a minha música preferida, desde que nos vimos pela primeira vez.
 
Mas na real? Nós somos o melhor hit que você fez.

Larissa Barone.

(P.S.: Feliz dia do músico pra todo mundo que tem esse dom maravilhoso de colocar emoção num som!)
Reblog, clique na imagem e veja o significado do simbolo da PEPSI

mija-de-rir:

Minha reação quando vi isso:

(via ivegotnowhere)


VOU REBLOGAR SEMPREEEEEEEEEEEEEEEE

(via meusonhocolorido)


Imaginem se a gente ganhasse bolsa-fã?

anjomeuls:

LS SHOP ME AGUARDEEEEEEE

(ourcolorful)

BORAAAA PRA RESTARTSHOP NEGADAAAAAAAAAAAAAA

(via voucantarprope-deactivated20130)



casadascompe:

SAPORRAAAAAAAAAAAAAA É NOSSAAAAAAAAAAAAAAAA! AAAAAAAAAAAEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE 

(via voucantarprope-deactivated20130)

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 »